SOBRE ESTE BLOG


Antes de tudo, seja bem-vindo!

Este é o Letras in.verso e re.verso. O blog foi criado em 27 de novembro de 2007. Uma aventura do acaso; na época, o seu moderador, Pedro Fernandes, tinha a ideia de apenas divulgar um evento na faculdade – evento em que ele ministraria um minicurso sobre a poeta potiguar Auta de Souza: um espaço do tipo lhe permitiria, além de divulgar o tal minicurso, expor o material produzido e/ou necessário no decorrer dele.

Depois disso, o blog permaneceu e o seu fundador achou que aqui deveria ser um espaço para organizar as leituras feitas na web. O propósito durou até certo ponto, quando começou a postar matérias suas: poesia, pequenos ensaios, breves artigos de opinião, alguns em circulação nos jornais locais. Ficou, desde então, como um espaço que preserva esses dois rumos: reunir materiais de leitura de Pedro na rede ao mesmo tempo em que lhe serve na divulgação de suas ideias.

Esses dois rumos, entretanto, não duraram muito tempo. Desde 2012, o espaço passa por constantes readequações a fim de receber outras vozes interessadas num tema que as une: a literatura. Abaixo fizemos o resumo que assinala a metamorfose vivida pelo blog até o ser o que ele é atualmente.

HISTÓRICO

2008
No primeiro ano, a título de organização, as postagens do blog passaram a ser reunidas em sete colunas que não são fixas, isto é, não ocorrem em dias específicos (Alguns dos filmes brilhantes, Apenas meus poemas, Intervalo, Letras e livros, Os escritores, Escritores e escrituras potiguares e Minhas falas).

2009
No segundo ano, foi aberta mais uma seção, a se chamar Eventos para a divulgação de eventos dos quais participaria o moderador ou simplesmente pelo seu apoio a iniciativa. Depois, veio a coluna Vídeos versos e outras prosas, espaço para publicação daquilo que seu próprio nome diz.

2012
Em 2012, os propósitos do blog ficaram, portanto, mais ambiciosos: foram criados outros canais online, como uma página de fãs no Facebook, outra no Google+, um Twitter, um Tumblr e um canal no Youtube (abaixo, estão especificadas qual a função de cada um deles), sempre com conteúdo diversificado cujo interesse é o de servir aos propósitos da arte e da literatura. São ampliações, apêndices ao que circula aqui no blog.

Neste ano, dado a leva de projetos e pela pluralidade de espaços que daqui surgiu, o blog inventariou uma nova fase. Até então, desde 2011, associado a uma rede de dois hotblogs cuja intenção era ser um diário ou espaço de publicidade para a criação dos projetos da revista 7faces e Um caderno para Saramago.

Em 2012, deu-se o descentramento de algumas dessas atividades desempenhadas pelo Letras: uma delas é que o hotblog Um caderno para Saramago foi desmembrado para um espaço próprio e agora as publicações e tudo que diz respeito ao projeto de corte saramaguiano é divulgado fora do Letras. O fato se deu, por uma necessidade de expansão do projeto – que passa também a ter uma espécie de central de notícias para acompanhar acontecimentos em torno da figura e obra do escritor português. Fazer isso e dá contas do que vai sendo feito no caderno sobrecarregaria esse espaço com um número excessivo de postagens.

Também quando foi lançada a 5ª edição do então caderno-revista 7faces, no final de julho do mesmo ano, outra mudança foi posta: o hotblog 7faces foi também desmembrado. Foi utilizado um espaço já disponível desde o terceiro ano do Letras, o versos à boca da noite. Este espaço visava a publicação apenas de poesia. Um poema por dia, a contar um novo calendário eletrônico. Daí, foi integralmente adaptado para recepção da proposta e o versos passou a servir de coluna fixa para um novo blog, indexado ao site da revista.

2013
A necessidade de manter o ritmo diário e a produção de matérias de qualidade para o crescente público do Letras fez com que o espaço passasse por uma nova reestruturação. As colunas Apenas meus poemas e Minhas falas foram transformadas em Do editor e muitas postagens que não eram do feitio do blog foram recicladas ou substituídas por outras (esse processo levará pelo menos quatro anos para sua adequação e tornou-se um trabalho contínuo de revisão dos textos, imagens e links divulgados no espaço). Foi criado ainda o Boletim Letras 360º, uma publicação semanal a fim de copiar as principais notícias editadas ao longo da semana na página do Facebook.

Em 2011, havia sido criado uma possibilidade de que autores externos pudessem contribuir com matérias para o blog. Essa possibilidade foi descartada e agora, em 2013, com a amplitude conquistada pelo espaço, ela volta a tona. Há algumas curtas normas que interessados em publicar devem seguir, além, é claro, de ter a paciência de que os textos sejam lidos, avaliados e editados. Também formamos um corpo de colunistas que, vez por outra, estarão postando por aqui.


OS SLOGANS

Durante o longo período, o Letras seguiu-se pela ideia de que  estava online por não ter propósito, era, ora um espaço de publicidade, ora um espaço para gritos, ora um espaço para experiências de escrita: os livros, os filmes, os programas, as leituras, enfim, tudo que fosse de apetecimento de Pedro; então, o blog era identificado pelo slogan “Literatura, Literatura e o que der na telha”. E com este propósito transformado em slogan o blog permaneceu três anos de sua existência.

Já no ano em que foram inventariados vários espaços anexos, os hotblogs, guiamo-nos por “Literatura em trânsito”. Desde fins de 2012, com o desmembramento dos anexos, estamos operando com o que constitui  a ideia do espaço “Literatura, Artes e Comportamento”. Esta talvez deva ser a fase mais duradoura.


NOSSAS FRONTEIRAS

Outros projetos

A partir do Letras uma série de outros projetos tomaram forma. O primeiro deles foi a criação de uma revista eletrônica para publicação de poesia. Intitulada de 7faces, por homologia ao poema de Carlos Drummond de Andrade; a revista está a pleno vapor com tiragem semestral e a incorporação de vários nomes da cena poética nacional e de outros países de língua portuguesa. Outro projeto foi a criação de um selo para as publicações eletrônicas feitas a partir do blog. Este selo também abarca as publicações da 7faces. A coluna Apenas meus poemas rendeu a publicação de um projeto chamado Palavras de pedra e cal. E desde junho de 2010, foi posto online o projeto Um caderno para Saramago. Este projeto reúne os materiais de pesquisa utilizados pelo moderador do blog  desde quando iniciou seus estudos da obra do escritor português e outros materiais que vão sendo coletados esporadicamente na web. Este é um dos projetos mais satisfatórios porque pretende ser uma ponte entre o pesquisador e o público, um canal para professores, alunos, outros leitores brasileiros e de língua portuguesa da obra de José Saramago.

Nas redes sociais


O trabalho da página nesta rede social é ser um complemento do blog. Sua função é a divulgação de notícias sobre os três eixos a que nos dedicamos – Literatura, Artes e Comportamento. Primamos pelo zelo com a imagem alheia e as informações aí prestadas. Por isso, sempre que possível, as fontes são preservadas. Também produzimos conteúdos, como banners, slogans e essa parafernália digital que serve para dá visibilidade a determinados trabalhos (já conhecidos de longa data pelos amigos e também os desconhecidos).


Repassar os links das publicações do blog.


Extensão das publicações no Facebook; e divulgação de matérias, quando estamos distantes dos computadores;


Publicação de conteúdo raro; mantemos desde 2013, por exemplo, duas colunas fixas “Todos os grandes já foram, um dia, pequenos/criança” – com fotos de escritores quando criança – e “Escritores e gatos” – com fotos da paixão que une essas duas espécies.


Disponibilização de produções próprias e alheias cujo tema seja Literatura. No segundo caso, insistimos na preservação e zelo pelas fontes.

- Instagram

Livros e escritores. Prévias e complementos de leituras. Passeio entre citações e imagens aproximadas ao universo literário. De tudo um pouco. Fotografado quando o que vemos nos apetece a fotografia e a partilha da imagem.

Conheça nossa política editorial
Quer ser nosso parceiro? Saiba como
Envie seus textos para nós!

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

A ignorância, de Milan Kundera

Há muitos Faulkner

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017

O primeiro conto de Ernest Hemingway