sexta-feira, 17 de abril de 2015

Boletim Letras 360º #110


Esta semana abriu-se vestida de negro. O universo literário sofreu duas perdas irreparáveis: primeiro, soubemos, tão logo começou a segunda-feira, 13, da morte do Prêmio Nobel de Literatura em 1999 Günter Grass; poucos minutos depois, chegava do Uruguai a notícia da morte de Eduardo Galeano. E são essas duas notícias marcantes que abrem o Boletim Letras 360º da semana. Em memória dos escritores dedicamos de relembrar como assinalamos esse dia de luto. Já à beira do fim de semana notificamos mais um leitor do Letras que foi agraciado com os títulos sorteados na nossa mais recente promoção: leva um Kit “Dois irmãos”, a HQ e o romance.



Segunda-feira, 13/04

>>> Alemanha: Morreu Günter Grass
O escritor alemão Günter Grass, Prêmio Nobel de Literatura em 1999 e autor de obras como O tambor (1959) e A ratazana (1986), morreu aos 87 anos: anunciou sua editora no Twitter. 

>>> Uruguai: Morreu Eduardo Galeano
O escritor uruguaio morreu em Montevidéu, aos 74 anos, vítima de um câncer de pulmão. Referência do pensamento sobre a América Latina, o livro mais conhecido de Galeano, dentre tantas obras, é As veias abertas da América Latina, publicado em 1971.

Terça-feira, 14/04

>>> Brasil: Mal-entendido em Moscou, novela de Simone de Beauvoir

Escrita em 1965 e que deveria integrar a coletânea "A mulher Desiludida", mas foi substituída por ela por A idade da discrição ganha tradução é publicada em maio pela Record. O livro narra a crise conjugal e de identidade vivida por um casal de professores aposentados em viagem a Moscou.

>>> Brasil: Um livro sobre gays e uma polêmica sem nexo nas redes sociais

Bastou a nota da coluna Babel sobre livro juvenil sobre gays ser levada para o Facebook para levantar um celeuma entre os leitores. This book is gay (Este livro é gay) será publicado pela WMF Martins Fontes. O livro festejado na Inglaterra rendeu ao autor, James Dawson, o título de “Queen of the teen” (, por tratar de assuntos LGBT na literatura juvenil. Mas, por aqui, ainda terá o que falar; a infinidade de comentários atestam toda a baba do ódio e do preconceito. Alexandre Martins Fontes, diretor da WMF Martins Fontes, disse ter se surpreendido com a repercussão da nota e, por conta disso, decidiu antecipar o lançamento do livro. Antes previsto para 2016, o livro sairá ainda em 2015. "É deprimente ver como boa parte da população brasileira ainda reage a esse tema. Eu nunca tive dúvidas em relação a esse livro, mas esse incidente me fez ter mais certeza de que foi uma boa escolha", disse ao PublishNews. Para Martins Fontes, a reação das pessoas demonstra que são pessoas despreparadas e mal educadas. "É essa a realidade que um menino ou uma menina gay enfrenta. É para se levar muito a sério essa questão", completou. A obra com o tema não é de um todo novidade para os leitores: outros livros já circulam no mercado e o selo Gutenberg, da Autêntica, prepara para 2015 o lançamento do romance Ask the passangers (ainda sem título em português), de A. S. King, que conta a história de uma menina que se descobre gay. Para Alessandra Ruiz, diretora editorial da Gutenberg, a presença de livro com essa temática se faz muito relevante nas prateleiras das livrarias no Brasil. A previsão é que o livro da Gutenberg saia em junho deste ano.

Quarta-feira, 15/02

>>> Brasil: Uma edição fac-similar de Eu, de Augusto dos Anjos
Já havíamos anunciado aqui sobre o livro. Agora noticiamos aos leitores que a edição feita pela Biblioteca Mário de Andrade já está disponível aos leitores. Trata-se de uma forma de comemorar o centenário da obra cuja passagem marcou-se em 2012. A edição reproduz o conteúdo e forma originais da edição preparada e custeada pelo próprio autor em conjunto com seu irmão, Odilon dos Anjos.

>>> Brasil: Um novo projeto gráfico e títulos mais acessíveis

É a aposta da editora Cosac Naify sobre um dos trunfos da editora: a coleção Prosa do Mundo, desde então anunciada como "A Nova Prosa do Mundo". A coleção reúne o melhor da literatura ocidental em edições definitivas. Traduções diretas dos originais, com preciosos textos complementares de autores como Roland Barthes, Julio Cortázar e Tarsila do Amaral. Os livros formam uma biblioteca essencial para leitores ávidos por literatura e apreciadores de belas edições. A Nova Prosa do Mundo tem preços reduzidos e novíssimo projeto gráfico e boa parte dos títulos já estão nas livrarias. 

Quinta-feira, 16/04

>>> Brasil: A poesia de Ademir Assunção na editora Patuá

A estreia do poeta no catálogo de uma das editoras independentes mais concorridas no Brasil foi com o livro LSD Nô que ganhou uma edição comemorativa de 20 anos em parceria com o Selo Demônio Negro em 2014. Para a partir de junho estão previstos Pig Brother, um poema de quase cem páginas que se desenvolve sobre um cenário urbano caótico, e mínima mímica, com poemas curtos a partir de experiências com o zen-budismo e viagens pelo Brasil. Escritos nos últimos anos (ou décadas, no caso de mínima mímica), são os primeiros livros de Assunção desde que venceu, em 2013, o Jabuti por A voz do ventríloquo (publicado pela Edith).

>>> Brasil: A ilha da infância, terceiro livro da série "Minha luta", de Karl Ove Knausgård, será lançado em maio

Mas já está em pré-venda. Divulgou a Companhia das Letras. Medo da água, medo da escuridão, medo do pastor-alemão dos vizinhos, medo do pai: a infância é uma época aterrorizante. Em A ilha da infância, Knausgård investiga a memória, o universo familiar e a construção da identidade. Como reconstruir as lembranças desse tempo, anterior a toda lembrança? O que há em comum entre o bebê que nossos pais fotografaram e a pessoa que somos hoje?

Sexta-feira, 17/04

>>> Brasil: A arte da fotografia brasileira agora on-line

A partir do dia 17/04 estará on-line o portal Brasiliana Fotográfica. O espaço é produto da parceria entre a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto Moreira Salles interessados em promover a fotografia brasileira, além de contribuir com a discussão sobre a preservação do patrimônio fotográfico digital. Inicialmente, o portal irá disponibilizar 2 mil imagens selecionadas dos acervos das duas instituições. Pelo Brasiliana Fotográfica, os usuários poderão pesquisar as imagens, salvar suas pesquisas e compartilhá-las nas redes sociais. A cada semana, novas galerias de imagens serão destacadas e, periodicamente, curadores convidados farão comentários e reflexões sobre as fotografias escolhidas. Para acessar vá aqui.

>>> Brasil: Editora prepara novo título de Cora Coralina

A poeta teria caído no esquecimento não fosse ser descoberta por Carlos Drummond de Andrade. Quando publicou seu primeiro livro era já uma senhora de 75 anos: Poemas dos becos e Goiás e estórias. Depois se seguiu Meu livro de cordel (1976) e Vintém de cobre - meias confissões de Aninha (1983). Ao sair da José Olympio, a obra ganhou novo fôlego; a Global mais que duplicou a bibliografia da escritora publicando de tudo um pouco: até as receitas de Cora, tida como uma cozinheira de mão cheia. Agora em 2015, quando se passam 30 anos da morte da escritora, a editora prepara mais um título até final do ano.

>>> Brasil: Novo livro de Jorge Reis-Sá para breve

Em Portugal saiu por esses dias A definição do amor, título mais recente do escritor. Segundo noticia a Guerra e Paz Editores, casa responsável pela obra em solo português, o livro vai também ser publicado no Brasil. A edição é da Tordesilhas. Por aqui já circulam Todos os dias e O dom publicados pela Editora Record, em 2007 e 2009.

>>> Portugal: Obra de José Cardoso Pires começa a ser reeditada

2015 assinala o 90º aniversário do escritor português. Há algum tempo fora das livrarias, eis, que agora se apresenta uma nova editora que cuidará do trabalho de reedição de sua obra. A Relógio d’Água disponibilizará para breve A balada da Praia dos Cães, O Delfim, O anjo ancorado e De profundis, valsa lenta; as obras terão prefácios de António Lobo Antunes, Gonçalo M. Tavares, Mário de Carvalho e João Lobo Antunes, respectivamente. Os novos livros sairão no final de maio, enquanto ao longo de 2015 trabalha-se em outras iniciativas destinadas a colocar em fluxo a obra de Cardoso Pires. Enquanto isso, no Brasil, as últimas edições de que se tem notícia da obra do escritor são alguns títulos publicados pela Bertrand Brasil.

Ligações a esta post:

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram, Flipboard

A poesia potiguar na virada do milênio

Por Thiago Gonzaga

A poesia não quer adeptos, quer amantes.
Federico García Lorca



Bastante interessante e válido o trabalho organizado pelo poeta areia-branquense Anchieta Rolim, Poemas de Amigos. Publicado recentemente em formato digital, traz uma boa seleção de poemas de uma das melhores safras que o Rio Grande do Norte tem na atualidade, em se tratando de poetas.

Ler Poemas de Amigos me fez relembrar uma frase dita certa vez por Umberto Eco, que definiu o efeito poético como a capacidade que um texto oferece de continuar a gerar diferentes leituras, sem nunca se consumir de todo. Esta é a sensação causada pela leitura do trabalho, em que constam poemas de Anchella Monte, Jarbas Martins, Clauder Arcanjo, Marcos Silva, Jota Medeiros, François Silvestre, Mário Gerson, Lívio Oliveira, Shauara David e muitos outros, onde o signo verbal se transforma a cada nova leitura.

Os escritores aí reunidos parecem estar em sintonia quando intuito é deixar um belo trabalho para a posteridade. Mergulham na linguagem, imergem em lirismos, fazendo do poema um ser vivo, repleto de plurissignificações, de maneira que sempre será visto de uma nova forma, com uma nova leitura, se recriando, se renovando, fazendo aquilo que  o linguista Chomsky chamou de níveis de competência e  desempenho. Ou seja: o nível de competência refere-se ao nível de domínio técnico da linguagem, e o nível de desempenho é onde o falante cria em cima do nível de competência. O ato de criar e trazer novas formas poéticas é bastante trabalhado no livro. Não faltam criatividade e talento para tantos momentos de invenção e técnica.

Abaixo um bom momento de criatividade, onde o poeta trabalha a intertextualidade com o texto bíblico.

Gênese
(José Saddock)

Antes era o nada.
O nada, porém, solitário e vazio,
E percebendo que nada lhe antecedera
Como nada lhe sucederia,
Fez-se deus e senhor do nada.
E assim, do nada, disse: faça-se o princípio.
E assim se fez.
Vendo que a princípio tudo era bom,
Criou o relógio
(o engenho que do nada fez o tempo).
E fez-se tarde e manhã: primeiro dia.

Na obra, há alguns poemas mais sintéticos e outros despojados de expressão lírica; há também outros com bastante inspiração, expressão de sentimento e estados da alma.  Ainda outros abordam a nossa atual realidade; são poemas engajados, com característica social. Exemplo:

Menino do farol
(Camila Rodrigues)

Observando assim de longe,
Perecem mais vítimas que culpados.
Através do vidro embaçado,
Onde o calor não atinge o ego,
Desvairado destino incerto
Que antes de errar já foi condenado.
Menino franzino,
De olhar tristonho,
Vagando na rua como se num sonho,
Por pouco não foi atropelado.
Fica zanzando anestesiado
Reação causada pela substância ingerida,
Tentando esquecer as mazelas da vida,
O menino passa o dia lombrado.

Ao longo do livro aparecem muitos temas e ideias em ritmos variados, provando a multiplicidade e sintonia da nossa poesia com a brasileira de modo geral.  Esse trabalho é importante, também, por ser a primeira reunião de poetas potiguares desse inicio de século (a última reunião de poesia potiguar foi publicada em 1998 por Assis Brasil).

Da mesma maneira que não se pode compreender  a cultura portuguesa sem  Camões, a inglesa sem Shakespeare, a italiana sem Dante, a alemã sem Goethe, só se compreenderá melhor a literatura brasileira  quando se fizer o exato balanço  dos trabalhos regionais , incluindo trabalhos e leituras  dessa natureza.

***

Thiago Gonzaga é colunista no Letras in.verso e re.verso. Nasceu em Natal, é graduado em Letras e especialista em Literatura Potiguar pela UFRN. Autor dos livros Nei Leandro de Castro 50: anos de atividades literárias e Literatura Etc. Conversas com Manoel Onofre Jr. Dentre os vários trabalhos inéditos que possui destacam-se Novos Contistas Potiguares e Personalidades Literárias do RN. Como pesquisador da literatura do estado criou o Blog 101 livros do RN (que você precisa ler), com interesse por autores e livros locais sob diversos aspectos.