Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 17, 2013

Madrugada suja, de Miguel Sousa Tavares

Imagem
Por Pedro Fernandes

Pela leva de títulos editados no Brasil e pela recepção grandiosa de sua obra – há títulos incluídos no rol dos mais vendidos – o escritor português Miguel de Sousa Tavares é o tipo de figura que dispensa apresentações mais bem elaboradas. Antes de Madrugada suja, que é seu último trabalho editado por aqui, a Companhia das Letras já colocou em mãos dos brasileiros pelo menos outros cinco títulos: Equador, o mais conhecido de todos, motivo de seriado para TV e seriado também exibido por aqui, Rio das flores, No teu deserto, além dos infantis Ismael e Chopin e O segredo do rio.
Madrugada suja está longe de ser um texto capaz de incutir alguma revolução estética no interior do campo da linguagem e desconfio que o interesse de Miguel Sousa tenha aí seu lugar; tenho mesmo a sensação que o que prevalece na obra do escritor português é sua capacidade de inventar histórias, constituindo-se, portanto, na escassa figura de um sujeito fabulador, livre do desejo de fazer da lí…