sábado, 14 de setembro de 2013

Boletim Letras 360º #30


Tela inédita de Van Gogh descoberta nesta semana na Holanda. Leia mais no Boletim.

Iniciamos esse boletim reforçando alguns convites que postamos ontem, 13/09, em nossa página no Facebook: o primeiro deles é que finda na próxima sexta-feira as inscrições para concorrer a um exemplar de Vidas, o novo livro de Paulo Leminski publicado pela Companhia das Letras. Para isso, basta ir aqui e seguir o que diz o regulamento. Depois, para dizer que pela segunda vez consecutiva o Letras concorre ao Prêmio TOP BLOG. E, claro, como bom leitor e amigo deste espaço, pedir o seu voto que pode ser dado tanto pelo Facebook quanto pelo e-mail. Basta clicar no banner à sua esquerda e pronto. Recados dados, vamos saber o que foi notícia esta semana em nossa página no Facebook?


Segunda-feira, 09/09

>>> Holanda: Identificada uma obra perdida de Van Gogh (imagem de abertura)

O Museu Van Gogh admite que identificou uma pintura perdida de Vincent Van Gogh, que passou anos em um sótão norueguês e até se acreditava ser de outro pintor. É a primeira tela de tamanho normal feita pelo mestre holandês descoberta desde 1928. "Sunset at Montmajour" (Pôr-do-sol em Montmajour) retrata árvores, arbustos e o céu, pintados com as familiares pinceladas grossas de Van Gogh. Ele pôde ser datado para o dia exato em que foi pintado porque o artista descreveu em uma carta para seu irmão, Theo, e disse que ele havia produzido a tela no dia anterior – 4 de julho de 1888. O museu disse que a pintura pertencia a um colecionador privado não identificado e estará em exposição no museu a partir do 24 de Setembro. E não revelou maiores detalhes sobre como a pintura foi encontrada. Ainda nos anos 1990, o museu havia rejeitado a autenticidade da pintura, mas novas técnicas de pesquisa e uma investigação de dois anos levaram a mudar de ideia. Teio Meedendorp, um dos pesquisadores, disse que há várias evidências que assinalam ser um autêntico Van Gogh, entre elas, a sua aparição como sendo a pintura de número 180 na lista da coleção de Theo Van Gogh, número que pode ser visto, coincidentemente, na parte de trás da tela. A obra havia sido vendida em 1901 para um colecionador norueguês.

>>> Portugal: Uma biografia de Fernando Pessoa on-line

Nuno Hipólito, um estudioso da obra do poeta português já editou outros textos críticos, também on-line, como uma edição comentada de Mensagem. Agora, depois de cerca de ano e meio apresenta o resultado de uma pesquisa numa monografia, Biografia de Fernando Pessoa em que busca encaminhamentos sobre questões como o período da infância do poeta, a criação de cada heterônimo, sobre a revista Orpheu e Presença, o romance com Ofélia, entre outras. Esta é a primeira parte de texto dividido em duas. Na segunda, ainda a se publicar, o estudioso que retoma a vida de Pessoa a partir de 1925 e analisa o que essa vida poderia ter sido, se ele tivesse tomado algumas decisões de forma diferente; e esta terá um caráter ficcional. Mais informações, basta ir aqui.

>>> Estados Unidos: Clássico de H. G. Wells voltará aos cinemas

A Ilha do Dr. Moreau, clássico da ficção científica publicado por H.G. Wells em 1896, vai voltar ao cinema pela produtora de Leonardo DiCaprio, a Appian Way, para a Warner. Lee Shipman e Brian McGreevy vão escrever a nova versão, ambientada nos dias de hoje, sobre o cientista maluco que faz experiências genéticas e cria novas espécies de animais em seu recanto no oceano. Segundo o Deadline, o filme terá tons de mensagem ecológica. Shipman e McGreevy trabalharam recentemente na série de TV Hemlock Grove, baseada em romance de McGreevy. O romance de Wells já foi adaptado ao cinema algumas vezes; em Hollywood, a mais recente é de 1996, com Marlon Brando como o Dr. Moreau.

>>> Brasil: As cartas de Orwell

O material vem reunido no livro Uma vida em cartas - George Orwell organizado por Peter Davison e Mário Sérgio Conti e tradução de Pedro Maia Soares para Companhia das Letras. A edição permite acompanhar a peculiar trajetória do escritor narrada pelo texto inconfundível do próprio Orwell. Nas centenas de cartas transcritas, o escritor britânico corresponde-se com as pessoas que exerceram influência sobre sua vida e produção literária. A obra contextualiza os principais momentos da vida do autor em meio a seu ambiente político, familiar e profissional. Davison chama a atenção para algumas facetas insuspeitadas do autor. “Havia um conflito não resolvido no seu eu mais profundo que o tornava um personagem tão contraditório.” Sempre “armado” contra a religião organizada – desdenhava da ideia da vida após a morte –, Orwell era, no entanto, casado na igreja, batizou os filhos e pediu para ser enterrado com os rituais da igreja anglicana. Também tem destaque a troca de cartas com a mulher, a psicóloga Eileen O’Shaughnessy (1905-1945), que faleceu prematuramente, causando uma dor profunda que Orwell sempre se esforçava em disfarçar. Mostra ainda que Orwell escrevia o tempo inteiro e esforçava-se, inclusive, para responder cartas de pessoas que ele mal conhecia. Assim mesmo, suas obras completas têm 20 volumes – já foram descobertas 1,7 mil de suas cartas e o diário ultrapassa as 500 páginas. Seus biógrafos e editores dizem, no entanto, que existe material inédito: cadernos com as anotações sobre a sua participação na Guerra Civil Espanhola, por exemplo, teriam sido roubados de seu hotel por agentes da polícia política da União Soviética e, provavelmente, estão escondidos em algum arquivo na Rússia. (Texto do jornal Gazeta do Povo)

>>> Portugal: O Prêmio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa anuncia os finalistas da 11ª edição

Os concorrentes foram avaliados e votados separadamente, em três categorias: poesia, romance e conto/crônica. Os quatro livros finalistas da categoria poesia são: Formas do nada, de Paulo Henriques Britto (Companhia das Letras); Porventura, de Antonio Cícero (Record); Sentimental, de Eucanaã Ferraz (Companhia das Letras); e Um útero é do tamanho de um punho, de Angélica Freitas (Cosac Naify). Na categoria romance temos como finalistas: O filho de mil homens, de Valter Hugo Mãe (Cosac Naify); A máquina de madeira, de Miguel Sanches Neto (Companhia das Letras); Barba ensopada de sangue, de Daniel Galera (Companhia das Letras); e O sonâmbulo amador, de José Luiz Passos (Alfaguara). Para completar a lista de finalistas temos quatro contistas: A verdadeira história do alfabeto, de Noemi Jaffe (Companhia das Letras); Essa coisa brilhante que é a chuva, de Cíntia Moscovich (Record); O tempo em estado sólido, de Tércia Montenegro (Grua Editora); e Páginas sem glória, de Sérgio Sant´Anna (Companhia das Letras). Os ganhadores saem em novembro.


Terça-feira, 10/09

>>> Inglaterra: Os finalistas do Man Booker Prize 2013

Também foi divulgado o nome dos finalistas do Man Booker Prize 2013. Permanecem na disputa pelo prêmio We Need New Names, de Noviolet Bulawayo; The Luminaries, de Eleanor Catton; Harvest, de Jim Crace; The Lowland, de Jhumpa Lahiri; A Tale for the Time Being, de Ruth Ozeki, e The Testament of Mary, de Colm Toibin. O grande vencedor é anunciado no próximo dia 15 de outubro.

>>> Portugal: Uma antologia em homenagem a Natália Correia

No dia 13 de setembro foi comemorado os 90 anos da escritora portuguesa Natália Correia; no país natal várias manifestações assinalam pela passagem da data, entre elas, a chegada às livrarias de um antologia com poemas realizada pelo poeta Fernando Pinto do Amaral. O livro reúne textos "essenciais" de Natália, compilados a partir da edição de 1999, Poesia Completa de Natália Correia. Natália Correia escreveu poesia, teatro, romance, novela e vários ensaios sobre História da Literatura Portuguesa.

>>> Estados Unidos: E essa de terminar o texto do outro que morreu e deixou inacabado?

Não faz muito tempo que em Portugal apareceu um texto de Sophia de Mello Breyner Andresen terminado pelo filho. Agora, nos Estados Unidos, foi anunciado que o filho de Leonard Elmore irá terminar o 46º livro do autor em que ele ainda trabalhava quando morreu em agosto desse ano. O romance é sobre a personagem principal do seriado Justified e já tinha título, Blue Dreams.

>>> Estados Unidos: Suspense em torno do novo livro de Thomas Pynchon

O autor mais recluso depois de J. D. Salinger e que há anos não publica um romance já findou seu novo romance - como há muito anunciamos aqui. O livro deve chegar às livrarias americanas napróxima semana. Na semana passada a Penguin Press, editora que publicará Bleeding Edge jogou na web um book trailer classificado entre o intrigante e o ridículo.  Um jovem que se faz passar pelo autor (ao menos é o que indica o letreiro na camisa) está em Upper West Side, lugar onde se passa a trama do livro, dizendo e fazendo besteiras que supostamente deveria fazer ir os seus seguidores.  Bom, fica o link para o vídeo.


Quarta-feira, 11/09

>>> Brasil: Novo livro de Paulo Leminski, editado pela Companhia das Letras chega na próxima semana. 

Em fevereiro foi a vez do consagrado já Toda poesia (notas sobre o livro aqui) Como já havíamos anunciado por aqui tem alguns meses a editora aposta nesse sucesso para fazer chegar aos leitores mais uma edição do poeta curitibano. Dessa vez é a obra Vida, que Leminski compôs para a Coleção Encanto Radical ao longo da década de 1980. Aí são reunidos algumas das raridades como Bashô - a lágrima do peixe, só encontrado em alguns sebos com preço nas alturas.  A edição reunida atende para um desejo do autor expresso antes de ser editado em 1990, ano em que, pela primeira vez a obra assim aparece: Cruz e Sousa, Bashô, Jesus e Trótski: “Com os três livros que publiquei, Cruz e Sousa, Bashô, Jesus e o que agora estou escrevendo sobre Trótski, quero fazer um ciclo de biografias que, um dia, pretendo publicar num só volume, chamado Vida.”

>>> Brasil: Quase 130 anos depois, romance de José do Patrocínio é publicado

Trata-se do título Pedro Espanhol. Definido como relíquia praticamente desconhecida, a obra começou a ser publicada como folhetim no jornal carioca Gazeta da Tarde a partir de 5 de abril de 1884, e é a terceira e última obra de ficção do escritor.  A redescoberta e a reedição do livro — prevista para outubro — devem-se ao editor George Ermakoff, da G. Ermakoff Casa Editorial. Ao pesquisar a vida do Tigre da Abolição, como ficou conhecido Patrocínio, ele achou só dois exemplares originais de Pedro Espanhol, um deles na Academia Brasileira de Letras, outro no Real Gabinete Português de Leitura. — Como o romance nunca foi reeditado, tornou-se inacessível à atual geração de leitores. Até podemos chamá-lo de livro perdido, visto que possivelmente não foi lido por ninguém nos últimos 70 anos — acredita Ermakoff.  (Informações são do jornal O GLOBO)

>>> Fliporto abre inscrições para o Prêmio TOC 140 de poesia

É o quarto ano em que ocorre o concurso. O TOC 140 premia os autores dos melhores poemas editados em 140 caracteres. São selecionados três autores dos três melhores poemas inscritos, editados e publicados no Twitter. Mas ao fim, 100 poemas são premiados para publicação numa antologia que também chega a sua quarta edição agora em 2013.  O regulamento pode ser lido aqui.


Quinta-feira, 12/09

>>> Chile: 40 anos depois, trabalho recupera livros salvados do fogo e outros que sobreviveram escondidos durante a ditadura de Pinochet

"Onde se queima livros, se queimam pessoas", a frase é Karin Ballestros em paráfrase ao pensamento de Heine. Ela é responsável por uma equipe de pesquisadores e agora mentores da exposição "Biblioteca recuperada: os livros queimados e escondidos 40 anos depois do golpe" patente na Universidade Diego Portales e com curadoria de Ramón Castillo, diretor da Escola de Arte da instituição. A lista negra da ditadura era imensa: Pablo Neruda, Hernán Valdés, Guillermo Atías, Armando Uribe... Foram bibliotecas inteiras saqueadas e queimadas. A exposição reúne, além da "biblioteca perdida", depoimentos brutais e verdadeiras declarações de amor pelos livros de quem conseguiu tê-los às escondidas, na clandestinidade. E imagens, muitas imagens acerca de um dos crimes maiores contra a alma da humanidade.

>>> Brasil: Autor ensandecido

Idealizado por Douglas Siqueira, “Autor ensandecido” é um projeto de poesia iniciado em junho deste ano, que todo mês produz e divulga textos próprios e inéditos, obras de artes visuais e videopoesias. Participa dele um coletivo de artistas que iniciou a divulgação de suas produções inicialmente através do Facebook. O projeto, com uma raiz literária e ramificações em diversas áreas artísticas, revela a multiplicidade de olhares e poéticas possíveis que surgem de uma temática em comum. “Autor ensandecido”, em seus diversos voos, se apresenta como um momento em que o poeta pertence a ordem do encantamento, que exercita e reinventa constantemente o ato de se impressionar com a vida que percebe ao seu redor. Os olhares presentes nas obras de arte sugerem um exercício poético do cotidiano, libertando-se da ditadura da rotina e do senso comum. Há um canal no Youtube e uma página no Facebook.

>>> Inglaterra: Projeto mapeia os lugares onde se passam todos os livros que ganharam ou foram indicados para o Booker Prize desde 1969

A Inglaterra rural, onde hoje é a Turquia, Calcutá, Nova Zelândia, Zimbabwe e Tóquio estão entre os lugares onde se passam a trama dos seis títulos que disputam a final do Man Booker Prize 2013 . Talvez a única surpresa é que Londres não é uma das cidades nessa lista. Afinal, 38 dos 267 livros finalistas ou vencedores nos 46 anos do prêmio, desde 1969, têm livros com cenários na capital inglesa; Dublin é o próximo local mais popular, com nove livros, seguido por São Paulo, com sete. Para ver, basta acessar o site.

>>> Brasil: Dalton Trevisan no Twitter

Não é que o escritor, um dos mais reclusos da nossa literatura, tem dado em aparecer. A iniciativa é do curador da Bienal Internacional de Curitiba 2013, evento que realiza uma série de atividades até o dia 1º de dezembro. Desde ontem, 11/09 e sempre às segundas, quartas e sextas-feiras serão publicados microtextos do escritor curitibano no twitter da Bienal Internacional de Curitiba 2013 (twitter.com/bienalcuritiba). Os textos foram selecionados por Ricardo Corona, o curador em questão. Outras atividades de promoção do evento inclui mostra literária com leitura de poesias em linhas de ônibus de Curitiba e com o lançamento da antologia poética "Fantasma Civil", com poemas de 43 autores paranaenses.

>>> Portugal: Os quatro primeiros títulos da reedição da obra de Sophia de Mello Breyner Andresen

Poesia, Mar novo, Coral e No tempo dividido, os quatro títulos da poeta portuguesa chegam às livrarias a partir de hoje num projeto já há muito anunciado pela Assírio & Alvim. O propósito editorial foi anunciado com o pretexto de não só devolver às livrarias e aos leitores de Sophia toda a sua obra poética, em edições cuidadas e rigorosas, mas também abrir um espaço de estudo, análise e debate sobre esta obra tão singular e preciosa.  Já esta semana, o nosso colunista, Pedro Belo Clara,falou-nos da edição de Coral.


Sexta-feira, 13/09

>>> Espanha: Encontrada tela de Joan Miró

O quadro voltará a Fundação Pilar e Joan Miró de Maiorca. Trata-se de um esboço preparatório sem assinatura que mais tarde pertenceria à coleção de estampas da série Gaudí, de 1975 e que desde novembro de 2011 havia desaparecido da instituição. Um transportador de Maiorca, ao leste da Espanha, disse que o Miró estava em sua oficina, por acaso, dentro de uma caixa.

>>> Brasil: Nelson Rodrigues: persona

É o título do novo trabalho da professora Maria Cristina Batalha, do Instituto de Letras da UERJ. Personagens femininos entre a pureza e a ambiguidade; o peso da repressão e da moral; os triângulos amorosos constantes, delimitadas no espaço urbano do Rio de Janeiro. Esses e outros ingredientes que compõem o universo ficcional de Nelson Rodrigues são destrinçados em Nelson Rodrigues: persona publicado pela EdUERJ. O livro ajuda a elucidar os mecanismos que levaram um homem a criações eternas como cronista ou dramaturgo, com uma produção que se caracterizou por ser popular e sofisticada oferecendo subsídios para a compreensão de clássicos do teatro e da crônica brasileiros, mas, sobretudo, uma visão mais aprofundada do autor.

>>> Estados Unidos: Manuscrito original do primeiro romance de F. Scott Fitzgerald está on-line

A divulgação foi feita pela Biblioteca da Universidade de Princeton. This Side of Paradise, assinala o aniversário de 100 anos de quando Fitzgerald tornou-se um calouro na instituição, inteirados no próximo dia 24 de setembro.  O romance é baseado nas próprias experiências de Fitzgerald durante a graduação. A primeira versão do romance foi concluída sob o título de The Romantic Egoist, na biblioteca da Universidade. Fitzgerald nunca chegou a concluir o curso e abandonou-o, em 1917, para se juntar ao exército dos EUA durante a Primeira Guerra Mundial. Don Skemer, curador de manuscritos da Universidade, disse que acha This Side of Paradise será de interesse aos especialistas da obra de Fitzgerald e próprios alunos de Princeton. O romance não teve a mesma popularidade como o onipresente O Grande Gatsby. Skemer disse que espera digitalizar os manuscritos originais de todos os romances de Fitzgerald. A equipe responsável pelo projeto de This Side of Paradise não teve dificuldades com os direitos autorais porque foi publicado em 1920 e já é de domínio público.  Os proprietários do espólio, no entanto, permitiu digitalizar O Grande Gatsby no ano passado, depois de vários anos para aceitar que a ideia não reduziria as vendas do livro. Aqui.

>>> Brasil: Ferreira Gullar em alta

Depois de ter um programa de rádio, da reedição com novo projeto gráfico de toda sua obra com títulos inéditos pela José Olympio, chega às livrarias pela Cosac Naify, Conversa com Ferreira Gullar.  O livro é resultado de um diálogo entre o poeta brasileiro e Ariel Jiménez e apresenta um retrato vívido de um dos mais importantes poetas da literatura brasileira, cuja influência nas artes plásticas e na teoria da cultura é ainda hoje sentida. A extensa entrevista aborda episódios pouco conhecidos da vida de Gullar, seu papel no movimento neoconcreto, e a produção poética e teórica do artista. O livro revela, assim, um escritor continuamente empenhado em dialogar criticamente com outros artistas e críticos.  O livro é um dos primeiros títulos da série "Conversas", que apresenta entrevistas de artistas latino-americanos com renomados críticos de arte internacionais, num ambicioso projeto editorial dedicado a documentar a arte latino-americana.

>>> Grécia: Romance de Gonçalo M. Tavares para o teatro

Jerusalém, publicado em 2006 no Brasil pela Companhia das Letras, ganha adaptação para o teatro, em Atenas. À frente os diretores Vana Pefani e Yannis Karkanevatos, a peça se define como uma mistura de elementos poéticos e reais defendendo a tese de que cada um de nós é ao mesmo tempo potencialmente executor e vítima. Cada um de nós pode, a todo o momento, ser vítima ou autor de violência. As posições dos torturados e dos torcionários são indistintas.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+