sábado, 1 de junho de 2013

Boletim Letras 360º #15

Little free library - projeto que tem chamado atenção aos de Manhattan, Estados Unidos.


Chegamos ao fim de mais uma semana; cada vez mais rápido como tem sido costume. É também o início de mais um mês e da última semana para que os amigos do Letras in.verso e re.verso concorram aos dois exemplares do novo livro organizado pelo Prof. Moita Lopes. Imaginem que parece que era ontem que colocávamos on-line este sorteio. Também é a última semana para envio de resenhas sobre o livro O grande Gatsby de F. Scott Fitzgerald. O melhor texto levará um exemplar desse livro. As informações como concorrer a esses dois brindes estão no fim desse boletim. Antes, não deixem de correr a vista sobre o que foi notícia esta semana na nossa página no Facebook.


Segunda-feira, 27/05

>>> Brasil: Obra de Sylvia Plath começará a ser reeditada

Segundo nota para a Ilustrada, "uma enorme lacuna do mercado editorial brasileiro está prestes a ser preenchida. Quase nada editada no Brasil, Sylvia Plath (1932-1963), um dos maiores nomes da poesia americana, figurará em livrarias nacionais nos próximos meses". A garantia é dada pela Globo Livros; única editora com um livro da poeta em catálogo hoje, Os Diários de Sylvia Plath, prepara já para o próximo semestre o inédito Sylvia Plath: drawings, com desenhos a tinta feitos pela poeta entre 1955 e 1957, quando estudava em Cambridge, na Inglaterra. Sairá pelo selo Biblioteca Azul, que ainda prevê, para 2014, o romance autobiográfico A redoma de vidro, há anos fora de catálogo, e The Collected Poems. Já a Editora Record, promete reeditar o volume de poemas Ariel. Por falar em desenhos de Sylvia Plath, vale ver que fizemos recentemente dois posts aqui no blog sobre o assunto. Aqui e aqui.

>>> Argentina: Em 2014, São Paulo será a cidade homenageada na Feira do Livro de Buenos Aires

O crescente interesse dos estrangeiros pela literatura brasileira também levou São Paulo a ser escolhida como a cidade convidada de honra da próxima edição da Feira do Livro de Buenos Aires. Por esses dias o jornal La Nación destacou os principais autores da literatura 'paulistana' – alguns não são paulistanos de registro, mas adotaram a cidade, como Bernardo Carvalho, Luiz Ruffato, Marcelino Freire, Joca Reiners Terron. Os prováveis autores tidos como presença garantida na Feira são Ferréz, Arnaldo Antunes, Nuno Ramos e Lourenço Mutarelli. Recentemente ficamos sabendo que Clarice Lispector é febre entre os argentinos desde que começaram a sair por lá as primeiras traduções da obra da escritora.

>>> Brasil/Portugal: Pela primeira vez é publicada toda a correspondência entre Fernando Pessoa e Ofélia Queiroz 

Pedro Corrêa do Lago adquiriu a primeira leva de cartas num leilão da Sotheby's e foi completando com outras adquiridas à parte. Depois de conversas com o especialista pessoano Ricardo Zenith decidiu levar adiante o projeto de reuni-las numa coletânea. "Conseguimos com isso publicar pela primeira vez a correspondência completa, a troca epistolar que é muito importante nesta relação amorosa", explicou o editor, considerando que "os documentos de Fernando Pessoa" revelam "uma faceta importante da personalidade complexa" do autor. A relação entre os dois, para o editor, "não passou de beijinhos" porque "ela era uma menina perfeitamente encantadora, mas chegou a hora em que ele viu que não estava preparado para o casamento". Para Corrêa do Lago, Pessoa "sonhou com uma vida normal" e esta paixão por Ofélia Queiroz "prova isso mesmo". No entanto, "a personalidade literária de Pessoa seria mais ou menos a que conhecemos, com ou sem Ofélia", considera o editor da obra, considerando que esta relação o "humaniza", retirando-o "da torre de marfim do baú de inéditos" e da imagem de "um homem afastado do mundo". Esta semana, fizemos uma matéria sobre o livro que pode ser lida aqui.

>>> Portugal: Mia Couto, o vencedor do Prêmio Camões 2013

O vencedor do prêmio literário mais importante da criação literária da língua portuguesa é o escritor moçambicano autor de livros como Raiz de orvalho, Terra sonâmbula e A confissão da leoa – seu último romance. É o segundo autor de Moçambique a ser distinguido, depois de José Craveirinha em 1991. O júri justificou a distinção de Mia Couto tendo em conta a “vasta obra ficcional caracterizada pela inovação estilística e a profunda humanidade”, segundo José Carlos Vasconcelos, um dos jurados. A obra de Mia Couto, “inicialmente, foi muito valorizada pela criação e inovação verbal, mas tem tido uma cada vez maior solidez na estrutura narrativa e capacidade de transportar para a escrita a oralidade”, acrescentou Vasconcelos. Além disso, conseguiu “passar do local para o global”, numa produção que já conta 30 livros, que tem extravasado as suas fronteiras nacionais e tem “tido um grande reconhecimento da crítica”. Os seus livros estão, de resto, traduzidos em duas dezenas de línguas.

>>> República Tcheca: O aclamado autor israelense Amos Oz ganhou o prestigiado Prêmio Franz Kafka

Um júri internacional, que incluiu proeminente crítico literário Marcel Reich-Ranicki selecionou Oz para o prêmio, que é concedido anualmente. Os vencedores anteriores incluem o romancista norte-americano Philip Roth e os prêmios Nobel Elfriede Jelinek da Áustria e Harold Pinter da Grã-Bretanha. O prêmio é oferecido Praga Franz Kafka Society a autores cujas obras tem forte apelo aos leitores, independentemente da sua origem, nacionalidade e cultura." Oz tem sido uma das apostas para estar entre os candidatos ao Prêmio Nobel de literatura já há alguns anos.


Terça-feira, 28/05

>>> Portugal: Colóquio internacional assinala a passagem dos 120 anos do nascimento de Almada Negreiros e 100 anos da sua primeira exposição

No âmbito destas comemorações, o Projeto Modernismo Online (IELT–FCSH/UNL), em parceria com o Instituto de Estudos de Literatura Tradicional e do Instituto de História de Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, organiza o Colóquio Internacional Almada Negreiros, a decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, nos dias 13, 14 e 15 de novembro. O Colóquio contará com os principais estudiosos nacionais da obra de Almada Negreiros, além de vários especialistas estrangeiros, que se propõem reavaliar a obra de um dos principais artistas portugueses do século XX. Todas as informações podem ser obtidas no site.

>>> Brasil: Nova versão de "Bonitinha, mas ordinária", de Nelson Rodrigues, para o cinema

Escrita em 1962, Bonitinha, mas ordinária, de Nelson Rodrigues, chegou à tela, pela primeira vez, em 1963 por J. P. Carvalho. A segunda adaptação, no começo dos anos 1980, foi feita por Braz Chediak. Agora, em 2014, uma nova versão da peça chega aos cinemas. De Moacyr Góes, diretor de Dom, e O homem que desafiou o diabo. O filme, realizado há quatro anos, perdeu a data do centenário de Nelson, em 2012. A maior ousadia de Góes é deslocar o eixo dramático de Edgard para Peixoto. O canalha rodriguiano vira personagem trágico, numa criação memorável do irmão do diretor, Leon Góes.

>>> Brasil: Tudo para Graciliano Ramos

Entre as ações previstas pela Editora Record para engrossar a homenagem que a FLIP presta este ano a Graciliano Ramos, autor da casa, está o lançamento de uma edição especial de Caetés. Publicado há 80 anos, o livro sairá em capa dura e terá textos de Erwin Torralbo, pesquisador da obra de Graciliano, e de Elizabeth Ramos, neta do escritor.  Ricardo Filho, outro neto, lança pela Globinho Se eu não me chamasse Raimundo, um tributo à A terra dos meninos pelados (1939), do avô, com ilustrações de Bruna Assis Brasil.

>>> Brasil: Revisitar Aluísio Azevedo

2013 assinala a passagem dos 100 anos da morte de Aluísio Azevedo, autor de O cortiço. O escritor tem vida e obra revisitadas em nova versão da biografia escrita pelo pesquisador Jean-Yves Mérian, publicada originalmente em 1988. A reedição de Aluísio Azevedo: vida e obra (1857-1913) vem com generosos acréscimos, e é publicada pela Garamond/Fundação Biblioteca Nacional. O trabalho é fruto de uma pesquisa incansável iniciada pelo professor-emérito da Universidade de Rennes Jean-Yves Mérian em 1972. Uma expedição literária que o levou a cidades como São Luís, terra natal de Azevedo; Rio, onde o autor tornou-se conhecido, e Buenos Aires, onde um parente guarda manuscritos inéditos do escritor. Peregrinou pelo mundo como o próprio Azevedo em seus tempos de diplomata.

>>> Brasil: Livros de James Joyce para crianças chegam ao Brasil

O autor de Ulysses escreveu dois contos para o seu único neto quando estava em temporada fora da Irlanda, seu país natal. O segundo, Os gatos de Copenhague, sai pela Iluminuras, foi escrito por Joyce (1882-1941) quando ele passou pela capital dinamarquesa e foi enviado ao neto por carta em setembro de 1936. O primeiro conto, O gato e o Diabo, escrito na França no mesmo ano, também será reeditado pela editora com ilustrações de Michaella Pivetti. Tão logo foi publicado fora do Brasil, Os gatos de Copenhague nós fizemos uma matéria sobre este livro que pode ser lida aqui.

>>> Brasil: A nova poesia brasileira vista por seus poetas

É o título dado à coletânea organizada por Fabrício Marques; nela, 54 autores escolhem e comentam um poema contemporâneo brasileiro. O material está disponível para download no site da Secretaria de Cultura de Minas Gerais e para início de junho, o Suplemento terá versão impressa lançada em Belo Horizonte. Para baixar o material basta ir aqui.


Quarta-feira, 29/05

>>> Estados Unidos: Um manuscrito recém-descoberto de Pearl S Buck será publicado no próximo semestre

No ano em que se passam 40 anos da sua morte, a escritora ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura em 1938, terá a publicação de um texto inédito seu pela Open Media Road em outubro. Ao longo de sua vida, Buck escreveu mais de 80 livros, uma mistura de romances, contos, infantis e não-ficção. The Eternal Wonder foi concluído pouco antes que a escritora morreu e foi encontrado nos seus arquivos em janeiro deste ano. Em uma declaração conjunta do filho de Buck, Edgar Walsh, da Open Road Jane Friedman e agente Michael Carlisle de InkWell, ficou dito o livro é "tão brilhante e inspirador como obras mais famosas de Pearl Buck, e estamos ansiosos para leitores de todo o mundo começar a desfrutar esta obra há muito perdida". O livro narra história de um jovem extremamente talentoso, cuja busca por significado e um propósito para a vida o leva para Nova York, Inglaterra, Paris, e em uma missão de patrulhar a DMZ na Coréia vai mudar a sua vida para sempre.

>>> Brasil: Teve início esta semana em Ouro Preto (MG) a 9ª edição do Fórum das Letras

Abriu a programação na quarta-feira, 29, a poeta Adélia Prado. O evento reúne ainda os escritores Affonso Romano de Sant'Anna, Angela Lago, Antonio Torres, entre outros. O evento é idealizado e tem curadoria de Guiomar de Grammont, com promoção da Universidade Federal de Ouro Preto.  Diferentemente dos eventos literários, o Fórum das Letras não se restringe apenas aos encontros com os escritores: no período da manhã, acontece o Ciclo de Jornalismo e Literatura; o encontro Livro em Questão, que estreou na programação do fórum no ano passado e foi sucesso de público; e neste ano o Fórum abriga ainda o Ciclo Justiça, Letras e Artes.

>>> Brasil: Uma coleção de vozes

Tem mais de 50 anos que Luiz Ernesto Kawall resolveu começar uma coleção: não de selos, moedas ou cartões-postais, mas de registros da voz humana. O acervo batizado por Vozoteca LEK, reúne cerca de 12 mil registros, não só com músicas, mas também discursos, entrevistas e depoimentos. Estão aí raridades como as vozes de Santos Dumont, Antoine de Saint-Exupéry, Hitler, Washington Luiz, Thomas Edison e vários outros. Pois agora tudo isso é doado ao Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB-USP). A transferência, negociada no ano passado, acaba de ser concluída e é o primeiro acervo só de áudio recebido pela universidade, agora encarregada de preservá-lo e disponibilizá-lo para pesquisadores e o público em geral. O jornal O Globo disponibilizou on-line algumas delas aqui.

>>> Brasil: Instituto Moreira Salles disponibiliza on-line edição dos Cadernos de Literatura Brasileira sobre Hilda Hilst

Depois de disponibilizar as edições referentes a Ferreira Gullar, Carlos Heitor Cony, Clarice Lispector, Erico Verissimo, João Cabral de Melo Neto, Guimarães Rosa, Machado de Assis, Mario Quintana, entre outros, o Instituto Moreira Salles disponibilizou on-line a edição dos Cadernos de Literatura Brasileira sobre a escritora Hilda Hilst. A edição dá a conhecer alguns dos desenhos originais de Hilda recém editados no volume de entrevistas Fico besta quando me entendem: entrevistas com Hilda Hilst (Globo Livros), além de depoimentos de amigos como Lygia Fagundes Telles e Caio Fernando Abreu, e textos de importantes pesquisadores em torno da obra da escritora. Para ter acesso, basta ir aqui.


Quinta-feira, 30/05

>>> Brasil: Nova edição de A lenda do Rei Arthur

A lenda arturiana – nome que se dá ao conjunto de mitos em torno de Arthur e seus cavaleiros - tem incontáveis versões na história da literatura em língua inglesa. A nova edição já publicada por esses dias no Brasil, traz o texto do norte-americano Howard Pyle (1853-1911), acrescido de 41 ilustrações pelas quais o autor era mais conhecido, além de apresentação e notas de Lênia Márcia Mongelli, professora da USP, especialista em literatura medieval. A tradução é de Vivien Kogut Lessa de Sá e livro sai pela Zahar Editora.

>>> Estados Unidos: Filme a partir de romance de Thomas Pynchon

Que Pynchon tomou o lugar de J. D. Salinger como o mais recluso da literatura estadunidense todos sabemos. Também que o escritor está escrevendo um novo romance, ficamos a par noutro dia. Agora, que produtores estão trabalhando na filmagem de "Inherent vice", ainda é novidade desta fan page. Pois bem, deixou de ser. A adaptação vai reunir Paul Thomas Anderson e o ator Joaquin Phoenix depois de O Mestre, Josh Brolin, Sean Penn, Reese Witherspoon, Martin Short, Jena Malone, Owen Wilson e Benício del Toro. A adaptação tem aval do recluso Pynchon, que está servindo como consultor. A quem interessa saber do livro, bem, no Brasil, foi publicado sob o título de Vício inerente pela Companhia das Letras.

>>> Brasil: Cinco músicas em homenagem a Vinicius de Moraes

A infância, os amores, as amizades, a poesia e a expectativa pelo fim da vida do compositor e poeta Vinicius de Moraes foram extraídos de cinco de seus poemas e traduzidos em música pelo compositor e regente de orquestra carioca João Guilherme Ripper, em uma obra que estreia mundial hoje. Encomendada pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) para homenagear o centenário de nascimento de Vinicius, “Cinco Poemas de Vinicius de Moraes para soprano e orquestra” com apresentações na Sala São Paulo. Ripper escolheu cinco poemas de Vinicius e do encadeamento entre si buscou traçar um percurso biográfico do homenageado. “Uma música que seja” fala do nascimento do som e da origem da poesia. Em “O poeta aprendiz”, Vinicius narra travessuras de infância. “Poema dos olhos da amada” mostra um Vinicius apaixonado. “Lapa de Bandeira” trata das amizades do poetinha, da Lapa de Manuel Bandeira, da poesia e de vários ritmos musicais. E, para Ripper, “A partida” revela uma visão carnavalizada do fim da vida, com festa e libertação, que o regente traduziu em música clássica com muita percussão.


Sexta-feira, 31/05

>>> Brasil: Primeiro livro do sueco Jonas Jonasson é traduzido e publicado no Brasil

Quando começou a escrever O ancião que saiu pela janela e desapareceu, Best-Seller mundial, Jonasson vendeu sua milionária agência de consultoria de mídia, fez duas grandes cirurgias nas costas e enfrentou um grande processo de divórcio. Estreou na literatura com 47 anos. Mas, inesperadamente o livro - que já foi adquirido por editores de 35 países - alcançou altas somas de aceitabilidade entre os leitores. O livro chega pela Editora Record e gira em torno de Allan Karlsson, um velhinho teimoso que foge do asilo no dia de seu aniversário de 100 anos, e termina numa corrida frenética — e de pijamas — pela Suécia.

>>> Estados Unidos: Ouvir 15 poemas de Sylvia Plath ditos pela poeta

Na semana que principiamos noticiando das edições da poeta que chegam ao Brasil este ano, para findar, as leituras de 15 poemas de Sylvia Plath feitos pela própria poeta; os textos estão organizados por ordem cronológica de composição, desde as gravações iniciadas em 20 de outubro de 1962.

Parte 1 - “The RabbitCatcher,” “A Birthday Present,” “A Secret,” “The Applicant,”

Parte 2 -“Medusa,” “Stopped Dead,” “Fever 103°,” “Amnesiac,” e “Cut”

Parte 3 –Além de “Ariel,” Plath lê “Poppies In October,” “Nick And The Candlestick,” “Purdah,”e lastly, “Lady Lazarus”.

>>> Estados Unidos: Vai a leilão um exemplar da primeira edição de O grande Gatsby, de F. Socott Fitzgerald

O exemplar pertenceu ao crítico e escritor Malcolm Cowley e será leiloado no dia 11 de junho em Nova York pela famosa casa Sotheby`s. O livro pode chegar a lances de US$ 150.000 e não será leiloado isoladamente. Junta-se ao produto um lote de cartas de Fitzgerald e um poema inédito do escritor. Você pode conhecer a história por trás da elaboração da famosa capa desta edição lendo nosso post, aqui.

>>> Inglaterra: Manuscritos de Samuel Beckett vão a leilão 

Pela Sotheby's de Londres, no próximo mês de julho. São anotações que deram origem ao romance Murphy, publicado em 1938 - dez anos antes de o autor escrever sua peça mais célebre, Esperando Godot. A estimativa é que os manuscritos sejam vendidos por um valor entre 800 mil e 1,2 milhão de libras. Para dar forma a Murphy, seu primeiro romance, Beckett consumiu seis cadernos escolares - cerca de 800 páginas - entre escrita, desenhos e rabiscos.

>>> Estados Unidos: Little Free Library (foto)

Lembram que comentamos aqui sobre minibibliotecas nos Estados Unidos? Então, que tal esta outra novidade? É uma criação dos arquitetos venezuelanos Marcelo Ertorteguy e Sara Valente que a convite Architectural League de Nova York e os organizadores do PEN Mundo Voices Festival of Literature International confeccionaram esse curioso casebre de leitura - já espalhado em 10 pontos de Manhattan.  O projeto foi concebido como pontos de itinerância e é mantido pelos próprios leitores que podem para ler enquanto estão na rua, levar e deixar livros. Ah, o post sobre as outras mini pode ser lido a partir deste link

Bom, e as promoções? A do livro do F Scott Fitzgeral, aqui; a do Moita Lopes aqui.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+