Postagens

Mostrando postagens de Abril 23, 2012

"Asymptote" e Flávio Araújo

Imagem
A web é, cada vez mais, o lugar onde mais proliferam invenções literárias. Se antes da existência da internet os escritores ou aspirantes a se punham a engavetar papeis, agora, muitas dessas gavetas estão abertas por aí. Às vezes abertas só para um pequeno e afetuoso público, muitas outras para um público sem tamanho, o suficiente para despertar nos grandes conglomerados editoriais o interesse em transformar toda essa parafernália digital em papel. 

Descubro recentemente mais uma dessas gavetas que como o Letras in.verso e re.verso anda a buscar pessoas talentosas para si, do modo como faz o caderno-revista 7faces. Asymptote. É este o nome do lugar. Ao modo do periódico nascido daqui, Asymptote se apresenta como uma revista internacionaldedicada àtradução literáriae a reunirem um só lugaro melhor daescrita contemporânea. "Estamos interessados ​​emencontrosentre as línguase as conseqüênciasdessesencontros." Asymptote é o nome dado à linha pontilhada no gráfico de uma função ma…

Livro é objeto-sujeito

Imagem
Acho que não é mais necessário falar sobre o legado insofismável dos livros. Sim, eles mesmos que não de hoje, mas hoje é dia, têm data comemorativa mundial. Data controversa porque, quando se criam dias para, eles servem para quê? Para não deixar que a coisa ou fato comemorado caia no esquecimento. Essa deve ser a primeira resposta que vem a cabeça de todos que forem confrontados com a pergunta. E a resposta é verdadeira; tanto que o difícil é ter de explicar por outro caminho. Não me darei ao trabalho de fazer esse outro caminho possível. Tais datas existem para isso e pronto. Já têm quando de sua criação suas necessidades desenhadas e muito se comenta o porquê de ter escolhido a tal altura um dia específico em que se deseja que uma determinada coisa ou fato seja longamente lembrado para que tenha também longa vida.
Quero apenas dizer que, além de um legado sem palavras o livro, concretiza em si a melhor forma de vencimento da vida sobre a morte. Por ele, é possível olhar o que se pa…