Postagens

Mostrando postagens de Outubro 19, 2011

Miacontear - O rio das Quatro Luzes

Imagem
Por Pedro Fernandes


Antes de tudo convém dizer que esse conto se situa na linha limítrofe do afeto e do desafeto, dos silenciamentos e do diálogos. Tomando como epígrafe um provérbio moçambicano é esta talvez a mais moçambicana das histórias de O fio das missangas. Isso porque nela se acomodam três distintas gerações - a um de velho que remonta os primórdios de África, cujos valores eram outros, a de um casal, filhos da geração desse velho e um menino, a terceira geração, esta contemporânea, das infâncias cortadas.

Considero a mais moçambicana das histórias pelo fato de os valores suscitados pela primeira geração desse conto irem de encontro aos valores da última geração - já, pelos traços, totalmente 'ocidentalizada'. Também é fato que o conto em questão possui o tom das lendas contadas para explicar o nascimento ou a existência de determinada coisa -  no caso o nome para o rio que passa à frente da varanda de casa do narrador, Quatro Luzes, rio este que não sei ser imaginári…