Postagens

Mostrando postagens de Julho 6, 2009

Quatro nomes da Segunda Geração do Romantismo: Álvares de Azevedo

Imagem
Amor e morte como temas românticos

ADEUS MUNDO

Já sinto da geada dos sepulcros
O pavoroso frio enregelar-me...
A campa vejo aberta, e lá do fundo
Um esqueleto em pé vejo a acenar-me...

Entremos. Deve haver nestes lugares
Mudança grave na mundana sorte;
Quem sempre a morte achou no lar da vida,
Deve a vida encontrar no lar da morte.

(Laurindo Rabelo)

Os versos de Laurindo Rabelo expõem o que podemos chamar de exaltação à morte. Ela fascinou e ainda fascina vários escritores da literatura mundial. Teve seu apogeu, certamente, no decorrer do que a história literária denomina de Segunda Geração Romântica. Nesse período a morte se apresenta quase que como uma constante nas obras literárias. Isso ocorre, atribui alguns críticos, como solução ao sofrimento imposto pela impiedosa e desumana sociedade burguesa. Talvez seja verdade. Nota-se nesse período a preponderância de outras características que reforçam essa tese, tais como a fuga para a infância, a criação de lugares outros, ermos, ou ai…